Red + 18

Bom, eu acabei optando por não fazer Catarse.
Os motivos foram muitos, mas por fim, o que mais contou foi que eu realmente queria tentar fazer algo mais pessoal, montei uma lojinha e estou vendendo a revista numa pré-venda com opções de pacotes bem legais. As revistas começaram a ser entregues no final de Abril. Se você quiser adquirir seu exemplar: Loja da Chai

Algumas pessoas queria saber sobre o que é a revista. Bom…

Red é uma HQ Erótica, Independente, feita por uma mulher. Red é uma personagem criada por mim para ser um pouco de tudo.
Nesse conto + 18, ela conta ao leitor como é sua visão  sobre relações amorosas/sexuais… A revista é erótica, colorida, com 16 páginas tamanho A4.

Vou deixar abaixo as duas primeiras páginas da revista para vcs conhecerem um pouco mais e abaixo o texto que a Gabriela Franco (site Minas Nerds) escreveu sobre a revista que ela já leu!

‘Eu adoro quando mulheres fazem quadrinhos de putaria. Eu adoro mulheres fazendo quadrinhos de qualquer gênero, obviamente, mas mulheres fazendo quadrinhos eróticos são a última fronteira na quebra de paradigmas e estereótipos de gênero no mercado de quadrinhos, e isso é riquíssimo, tanto para as HQs, como para nossa sociedade como um todo. É preciso falar sobre sexo. É preciso que mulheres falem sobre sexo porque ainda vivemos sob uma visão do sexo e sexualidade completamente masculina. Porque infelizmente, o sexo ainda é um tabu até mesmo entre nós mulheres, que ainda tentam se livrar dos inúmeros grilhões sociais, morais e religiosos impostos a nós por milhares de anos. Nosso sexo ainda é cheio de culpa, traumas, inseguranças e peso desnecessários, que acabam transformando o que deveria ser prazeroso e libertador em algo limitador e destrutivo. Quando li Red pela primeira vez, a sensação que tive foi justamente a contrária disso tudo. Ler Red foi como flutuar, dar aquele suspiro após o gozo, sabem? A narrativa da Chai, tanto gráfica quanto escrita, é leve e apresenta uma mulher plena e perfeitamente consciente do papel do sexo em sua vida e de como deve usufruir de sua sexualidade, colocando o prazer a si mesma em primeiro lugar. Não sendo escrava de nada nem de ninguém, nem mesmo do sexo em si, sendo livre, leve, sensível sem ser piegas, aproveitando de tudo sem ideias e ideais pré-estabelecidos. Red é livre e ser livre também é querer ver livres os outros. Que Red nos inspire e nos liberte. “Que nada nos limite, que nada nos defina, que nada nos sujeite. Que a liberdade seja nossa própria substância” sempre ela, Simone de Beauvoir.”  – Gabriela Franco (Minas Nerds).

0102

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s